quinta-feira, 28 de abril de 2011

Andebol 1 – Fase Final 6ªJornada – FC Porto (con)vence Benfica e abre estrada para o Tri-Campeonato

Os bicampeões nacionais venceram o Benfica por 28-18, em jogo da sexta jornada da segunda fase do campeonato nacional de Andebol.

imageNo jogo considerado o "Jogo do Título" o resultado final não deixou margem para dúvidas, vitória ESMAGADORA do F.C.PORTO.

Foi efectivamente uma exibição muito bem conseguida e uma das melhores da época realizadas no DRAGÃO CAIXA para o entusiasmo de mais de 3/4 de casa, sendo de realçar a desenvoltura táctica do bi-campeão nacional, com um jogo fluído e rápido nos conta ataques, apoiados e lançados por um acerto defensivo digno de registo, com especial incidência na extrondosa exibição de Hugo Laurentino, que deu para desenvolver algumas jogadas de 1ª linha com muito recorte técnico com dois pontas (Ricardo Moreira e Dario Andrade) a fazerem muitos estragos na defesa encarnada.

O treinador Ljubomir Obradovic reconheceu hoje que o FC Porto deu «um grande passo» rumo ao terceiro título consecutivo de campeão nacional de andebol, após o expressivo triunfo sobre o Benfica (28-18).

«Não está decidido, mas sim, foi um grande passo. Mas ainda não acabou. Temos de continuar», avisou o técnico, com quatro pontos de vantagem a quatro jornadas do fim. Parco em palavras, o sérvio diz que a chave do sucesso foi «uma luta comum, um grande apoio dos adeptos e dos dirigentes e o acreditar muito no trabalho».

Ljubomir Obradovic «esperava um jogo difícil» e considerou que «a boa defesa e o Laurentino na baliza» resolveram o desafio que pode ter sido crucial nas contas do título.

José António Silva estava resignado e rendido à exibição de Hugo Laurentino, que fez 36 defesas.  «A explicação dos números passa por Laurentino. O guarda-redes adversário esteve muito bem com 61 por cento de eficácia. O FC Porto ganhou alguma vantagem no inicio, creio que com alguma influência do seu desempenho. Conseguimos jogadores em boa posição de finalizar, mas ele fez a diferença», assumiu.

O técnico lamentou as «muitíssimas falhas» da sua equipa no ataque, considerando que a «grande intensidade de jogo» a que os seus pupilos têm sido submetidos pode ter «tirado algum discernimento e capacidade de explosão na finalização. Sabendo que precisávamos ganhar o jogo, há depois uma quebra sob o ponto de vista anímico. Apesar dos jogadores continuarem a lutar, não o fizemos com a convicção que desejávamos. Agora o título está muito complicado», concluiu.

Sem comentários:

Publicar um comentário